sexta-feira, 16 de novembro de 2012


Rodrigo gritava como um louco, quebrava alguns objetos da casa, ficou até com vontade de bater nela, mas era um homem íntegro nunca encostaria  a mão numa mulher. Estava sofrendo muito, ele amava muito Solange.

A discussão seguiu até Rodrigo ir embora, desceu no elevador  entrou no carro pegou uma trouxinha de cocaína colocou uma grande quantidade num cartão de credito enrolou uma  nota para substituir o canudo e cheirou tudo de uma vez. A droga fez efeito instantâneo  sentiu seus batimentos cardíacos pularem, se sentiu poderoso, a adrenalina explode no seu organismo. Saiu em alta velocidade cantando pneus pegou uma autobahn com sua Mercedes-Benz, as luzes dos outros carros passavam como vultos coloridos o carro já marcava  duzentos quilômetros por hora um vacilo seria fatal. Solange ligava insistentemente preocupada com ele, mas ele não queria falar com ela estava com muito ódio.

Rodrigo chegou em casa bem. Pegou uma garrafa de Black Label e foi pra varanda sentou na mesa preparou mais algumas carreiras de cocaína e cheirou ficou bebendo seu uisque e pensando. Lembrou de todos os momentos que passou junto com Solange,  a vinda para Alemanha pra tentar a vida, o começo difícil  mas com muita união e cumplicidade, começou a refletir sobre o que ela lhe disse, de ele não estar nunca presente. Começou a se perguntar se realmente estava sendo um bom marido, por um pequeno instante  chegou a acreditar que a culpa realmente era sua. O choro veio...

Nenhum comentário:

Postar um comentário